quinta-feira, 8 de outubro de 2009

Que não seja eterno...

É difícil tentar entender por que as pessoas agem como agem. Ainda mais difícil é se lembrar qual foi exatamente o motivo que te levou a reagir ao que elas fizeram.

Um simples gesto, ação e reação - quem sabe qual o verdadeiro motivo para que tudo que acontece dentro da própria realidade, e parece tão natural, aconteça assim?

De onde viemos, o que somos... tudo o que nos compõe. Toda a parte do passado que teimamos em lembrar como "presente". O beijo que demos ontem, o filme do domingo passado... cada momento que vivemos e tivemos.

Mas, se esses tais momentos - assim, no plural - aconteceram, passaram, por que, nunca conseguimos dividi-los nessa andança mochileira pela vida?

É, eu fiquei mesmo tentado a entender.

Um momento não é uma unidade de medida; ele não possui elemento definido, massa atômica, ou prazo de validade. Também não há um caminho certo de como ele deve ser percorrido, in and out, ou tempo determinado.

-Não.

Não?

-Não.

Um momento é o jeito como você está, e tudo o mais que compõe como você pensa, sente, age... quer. É o jeito com que você tenta moldar a realidade, trabalhando o seu paradigma, em busca do que tanto deseja. É um fato, e uma conseqüência, um micro e um macro, transportados para dentro de si e como você interage com tudo ao seu redor.

Tudo, é claro, dentro do infinito composto de um pouco de tempo.

E assim, mês a mês, ano a ano, vez a vez, se esvaem os momentos, numa linha única que teimamos em chamar de memória. Você não era a mesma pessoa quando deu seu primeiro beijo, sentiu sua primeira paixão, ou perdeu a sua virgindade: todos eram diferentes faces de você, criados no nada da 4ª dimensão inexistente, percorrendo um caminho sem volta, sem se tocar que está mudando, até que tudo ao seu redor também tenha mudado.

Talvez o grande defeito do ser humano é não entender que as oportunidades aparecem e, no mesmo passe de mágica, somem, envoltas no manto do momento, percebendo que elas existiram depois de muito, muito tempo.

Ou então, seja ancorar em si um momento especial, esquecendo-se completamente de todos os outros, que, por uma vez só, vão passar.

O problema é que, infelizmente, quase ninguém vê que apenas vai ser infinito enquanto durar.

19 comentários:

Guilherme disse...

Se eu não conhecesse o autor, quase choraria.... hahaha

Rafael disse...

Velho amigo!
O comentário é a vereda do que ainda conversamos. Mas fica aqui pra posteridade, uma vereda para todos. "O infinito composto de um pouco de tempo". Um livro, nisso, um livro inteiro solto bem aí no meio. Fez lembrar a matemática das entrelinhas, dos números entre números inteiros, infinitos em si, e infinitos a cada nova infinitude. Quantos infinitos um momento pode criar? Acho que fica aí o peso do momento. Ele é infinito, no final, mesmo que momento, e é o infinito do tempo desfeito. È visível na tua escrita. E o infinito enquanto durar, ainda ecoando, esse, como eu te disse, fez lembrar o Pozzo do Godot. Um dia, um momento infinito, e as coisas infinitas têm que se bastar. E quando acabarem, que acabem, e que o novo comece. No final, nada melhor que fechar os olhos e acordar, como Lévinas deve ter acordado em tantas manhãs, com a promessa de ser alguém totalmente novo, e claramente de enfrentar um mundo totalmente novo. Um despertar com o direito ao esquecimento.

camilinha_zanata disse...

uaaal! noossa! fico de cara com as coisas que você escreve, coração!
pior que é bem isso mesmo.. sem tirar e nem por!
bom demaaiis!
continue me avisando quando chegarem os próximos, viu!
adoro ler seus textos!

beeijos, Vi! ;)

Anônimo disse...

Que seu cortex pré-frontal registre cada momento e não lhe deixe esquecer cada episódio, mesmo que este se torne impermanente mas que não esqueças jamais do que sentiu e vivenciou em sua mente ; )
ZzZz Piro-Piro, piro piroca =P

daniboy disse...

Muito bom, muito bom mesmo. É a mais pura realidade, principalmente a frase " vai ser infinito enquanto durar". Então que seja eterno enquanto DURE! muito bom brother

Diego Managlia disse...

Realmente.........
Um momento também é extramamente volátil, assim como o humor.
Passado é uma coisa que me intriga, me deixa pensativo, mas sempre acaba em um paradoxo espacial!
É incrível como eu não consigo aceitar que essa 4ª dimensão seja o tempo e que o tempo não possa ser medido de fomra negativa, pois assim poderíamos voltar no tempo, né? rs

Abraaço!

Karen Rita disse...

Eu demoro pra vir até aqui eu seei, mas quando leio seus posts não consigo ler só uma vez...eu leio...releio....trileio...fico pasmaaa!! Textos sempre lindos, verdadeiros, porém mto tristes e as vezes meio emos =P hhauahauhau brincadeirinhas a parte, é mto bom quando vc se inspira e resolve atualizar isso aqui. Só tenho mais um comentário a fazer: paciência....é a vida!

Fly disse...

é um ciclo q se resume em uma espera de uma sensação q nunca chega, mas o esperar só é válido porque a suposta chegada deve ser muito boa, mas ela nunca chega.

Enrico disse...

Pois é, filho...

Dois pensamentos pra você:

Primeiro: "o momento mais importante é o que se vive".

Segundo: há realidades que não compreendemos, verdades que não alcançamos, sutilezas do destino que, a cada momento, estão distantes da nossa percepção. Ora, é o tempo que nos ensina a perscrutar esses detalhes da vida; é o tempo bem vivido que nos impulsiona adiante, mesmo quando tudo parece perdido.

Em algum momento, passado, presente e futuro se confundem, se entrelaçam e se perdem cada um em sua direção preferida, e nós ficamos aqui.

Podemos admirar o espetáculo ou podemos fazer alguma coisa. Agora, neste instante, qual é a opção que fará da sua vida a bem vivida?

Um abraço, e parabéns pelo texto genial!

Suzana disse...

Vamos viver o presente da melhor forma possível, sem esquecer o que passou..Quem julga o que passou faz o mal..rssrrs
Faz tempo que não leio nada aqui...Estou totalmente louca!

Bjos

Suzana

Thais (: disse...

realmente esse texto ta grande, mesmo sendo divido ta grande msm assim HDOISAHDAOH mentiriiinha *--*
ta super legau vitoor,muito boa essa sua imaginaçao (:
bjin :*

mariana disse...

coracaoo..
ameii como sempreeee
mto bom
beijaoooo

¤Luanin¤ disse...

Isso é bem verdade! Cada momento é único e se não estivermos atentos ele escorrega por entre os dedos e cai no esquecimento, porém outros parecem uma espiral em nossa lembrança, indo e vindo, nos tocando, nos fazendo revivê-los e adormecê-los. Tudo é composto de momentos, de como vivemos cada um deles, felizes ou tristes, eternos ou momentâneos, mas ali, naquele lapso de instante ele é eterno e a maneira que reagimos a ele determina como serão tantos outros instantes... não acho porém que sejamos uma mera ação e reação de tudo que nos acontece, pois cada nota faz compor a nossa sinfonia e muitas vezes ainda temos escolha de como "re-agir" ao que nos é imposto.
Beijos

amanda disse...

Poiis é,gosto de ler seus textos,pq eles sempre mostram a REALIDADEE!E isso é muiito boom!

Mas eu gosto de ficar relembrando meu passadoo,só os momentos boons nee.. HÁHÁ

aah, também gosteei quando disse''quase ninguém vê que apenas vai ser infinito enquanto durar''.=P

Muuiito boom maaniinhoo,shoow de boola!

~Beeijo coraçãoo (L).

Lila disse...

Muito bom, adoreei!
Nossa como vc viaja no pensamento!
Adoro isso, pra refletir um pouco sobre coisas q as vezes é bom serem lembradas, pq realmente a gente esquece, como "não ha um caminho certo", o q pasou passou, nossas oportunidades. Realmente elas aparecem e as vezes so percebemos depois de muito tempo!
E querendo ou nao, as pessoas mudam, e as vezes so percebem isso depois q muita coisa ja aconteceu...
Muito bom!

beijos
bb

M Luiza disse...

Vc queria a minha opinião? Não sei bem oq dizer...qual é a sua real proposta aqui? Fuga? Sei lá, você está sempre comentando oq há ao redor, e como tudo muda, mas se mantendo sempre como mero observador, sem explorar VC mesmo nos pensamentos que posta. Não acho interessante por causa disso... essa sua linha de raciocínio eu já conheço. Sobre o texto, acho que o passado deve ser encarado como uma lição mesmo... sejam boas ou ruins, não importa. são úteis. Tanto para a maturidade qto para se manterem como são - boas lembranças. É mais feliz aquele que faz o melhor com o tempo que tem!

André Lasak disse...

Meu amigo... a resposta para todas as dúvidas é uma só: 42.

Pense nisso.

ABRAÇÃO!

Leonardo disse...

Se eu não conhecesse o autor, quase choraria.... hahaha [2]


Mas enfim, mano... a gente nunca sabe quando pode acabar. O que resta é aproveitar cada momento.

Abração, se cuida.

Pedro Staite disse...

A gente adapta nossos discursos constantemente, mesmo que não sejamos flagrantemente hipócritas. Um quezinho de o que fomos também faz parte do negócio.

E, cara, realmente as oportunidades aparecem e somem do nada. É só ver depois de um tempo, como uma amizade sua ou um namoro seu surgiu: se você tivesse atravessado a rua instantes antes, talvez a vida fosse outra.

Até!