quinta-feira, 14 de fevereiro de 2008

Da série filosofia do ócio vespertino: Uma questão de simplicidade

Bom, hoje eu decidi seguir, pelo menos uma vez, o pseudo-tema que eu queria dar ao blog quando pensei nele pela primeira vez. Entonces:

Simplicidade:
1. Qualidade do que é simples, do que não apresenta dificuldade ou obstáculo. 2. Naturalidade, espontaneidade, elegância. 3. Caráter próprio, não modificado por elementos estranhos. 4. Forma simples e natural de dizer ou escrever; elegância. 5. Ingenuidade, desafetação. 6. Sinceridade, franqueza.

Eis, uma questão delicada de se abordar hoje em dia. Pra você, o que é simplicidade? E não me venha com aquele bucolismo enervante de "uma casinha, meu amorzinho, no campo, só agente"; não quero saber o que de mais simples alguém pode fazer e ainda viver relativamente bem, mas, sim, como o conceito de ser simples se encaixa nos dias de hoje, nessa vida conturbada e amalucada que temos.

Talvez, eu tenha começado um pouco errado. Vou tentar retomar.


O que é ser simples? O que se que enquadraria, na concepção do mundo contemporâneo, como um modo de ser uma pessoa simples?

Não deve ser como a maioria de nós vivemos - a propensão à se complicar cada uma das situações que acontecem em toda a grande parte do dia, mesmo as que englobem os assim chamados "íntimos", é astronômica - tampouco, deva o famoso troglodita way of life ser uma resposta à altura; não, o famoso "simples", nos dias de hoje, parece mais com o enquadramento de um sujeito que enxerga cada um dos problemas e cada uma das complicações inerentes à estes, mas os vence com facilidade, OU, o que parece mais realista, não se remói em tentar vencê-los.

Talvez, algum dia, agente aprenda a ser assim. É, talvez, algum dia também, viagens espaciais serão patrocinadas pela Coca-Cola.

Vai saber né.

Um comentário:

lu_alwaysme disse...

ser simples é sentir-se completo. satisfeito. É ser como um cálice que transborda...
vez ou outra, por alguma razão... nossas energias se esvaem, por conta de toda essa loucura diária.
Simplicidade determina o modo que uma pessoa vê o mundo, como nele se comporta, e consequentemente, o que para a maioria parece um obstáculo difícil, para esta se destoa... torna-se, quem sabe, um desafio que é encarado com otimismo. Lógico... digam o que quiser... mas simplicidade é utopia.
Parece bobagem, mas a maioria das pessoas busca incessantemente o enervante bucolismo (E PAGA POR ISTO), pois nesta realidade em que vivemos, são necessários dentes afiados, garras e uma pitada de hipocrisia.