sexta-feira, 9 de maio de 2008

Rei que foi, rei que será

E mais uma estrela de nosso parco céu perde seu brilho. Na data de hoje, Paulo Alberto Artur da Távola Moretzsohn Monteiro de Barros, ou apenas Artur da Távola, faleceu, aos 72 anos.

Deixa, como herança, uma produção literária culta e que expressa um sentimento que realmente se sente, algo que fez com maestria, como poucos.

Que Deus possa deixar que cheguemos nesta idade, e neste passo da vida, tão profundamente cultos... e sábios.

Um comentário:

Youkai Lion disse...

M. Zimmer fala bem, que os deuses existem, de acordo com a intensidade de pessoas que neles acreditam, e mostra que arthur, apesar de cético, respeitava o poder da magia dos deuses que não acreditava, As Brumas de Avalon, ótima literatura a se aproveitar em tardes entediadas ou noites antes de descançar...